Neste domingo, 2 de outubro, dia de eleições gerais, é a hora do povo decidir quem vai ditar as regras do jogo pelos próximos quatro anos. É o único momento na vida do cidadão brasileiro em que o rico e o pobre têm o mesmo poder de decisão, o poder do voto. O poder de demitir os maus políticos e de contratar novos, capazes verdadeiramente de trabalhar para melhorar a vida em comunidade. De definir o que realmente queremos para o futuro da nossa cidade, do nosso estado e do nosso país. É o dia da liberdade de escolha. É o dia em que todos são iguais, de fato e de direito, perante a Lei.

Estado democrático

Também é no dia das eleições gerais, que nós, cidadãos comuns, podemos exercer plenamente, o Estado Democrático de Direito, assegurado pela Carta Magna, a Constituição da República Federativa do Brasil, promulgada em 1988. A popularmente conhecida como Constituição Cidadã trás em suas primeiras linhas a importância de elegermos representantes do povo capazes de assegurar ‘o exercício dos direitos sociais e individuais, a liberdade, a segurança, o bem-estar, o desenvolvimento, a igualdade e a justiça como valores supremos de uma sociedade fraterna, pluralista e sem preconceitos, fundada na harmonia social e comprometida, na ordem interna e internacional, com a solução pacífica das controvérsias, promulgada sob a proteção de Deus’. Portanto, como versa em seu artigo 1º, parágrafo único: “Todo o poder emana do povo, que o exerce por meio de representantes eleitos…” temos a obrigação e a responsabilidade, de definir, através do voto e das escolhas individuais, o nosso futuro.

Do povo

E como todo poder emana do povo, precisamos fazer valer os nossos direitos fundamentais, escolhendo neste domingo, um senador e mais 46 deputados federais para defender os interesses e necessidades do povo do Rio de Janeiro perante o novo presidente da República, que poderá ou não ser eleito neste primeiro turno das eleições gerais. Bem como também iremos escolher outros 70 deputados estaduais para representar os 92 municípios que compõe o estado do Rio de Janeiro junto ao novo governador que será eleito pelo povo para governar pelos próximos quatro anos. 

Vestibular das urnas

Aliás, a escolha dos cinco representantes, não é uma tarefa nada fácil para os 12.827.296 milhões de eleitores aptos a votar no Estado do Rio. Assim como o eleitorado é grande, o número de candidatos também impressiona. São 9 candidatos a uma vaga de governador, 14 candidatos a uma vaga no Senado. Além disso, 1.078 candidatos disputam 46 vagas para deputado federal e outros 1.634 nomes concorrem as 70 vagas de deputado estadual. Nesse verdadeiro vestibular das urnas, o povo também precisa fazer o seu dever de casa e estudar cautelosamente a vida de quem ele pretende eleger para representa-lo perante o estado e a nação nos próximos quatro anos. Precisa observar a sua conduta profissional, ética e familiar perante a sociedade e se seus valores individuais e propostas se assemelham aos seus, para não se arrepender depois, pois quatro anos parece passar rápido, pois uma escolha ruim pode marcar uma geração.     

Costa Verde

Dentro desse número expressivo de eleitores do Estado do Rio de Janeiro, as cidades de Itaguaí, Mangaratiba, Angra dos Reis, Rio Claro e Paraty, que compõe a Costa Verde, têm juntas 315.347 eleitores aptos a votar neste domingo. Essas cidades têm características comuns relativas ao desenvolvimento social, cultural e econômico que meche diretamente com cotidiano desses municípios como a exploração do petróleo, turismo, pesca e a agricultura, que dependem diretamente de ações dos governos do Estado e Federal para se desenvolver e que são carentes de representantes com capacidade profissional suficiente para defender os interesses dos munícipes, como é o caso da duplicação da Rio-Santos, que apenas atendeu a cidade de Itaguaí, ignorando as demais cidades, que não tinham na época quem as defendesse e que agora, foi privatizada, e em breve cobrará da população da Costa Verde tarifa de pedágio para transitar na rodovia sem nenhuma previsão real de que um dia ela seja duplicada. E infelizmente, assim como nós ficamos calados, sem voz nesse processo de privatização, também não tínhamos um único representante junto ao Governo Federal para nos defender, dessa covardia, já que não tivemos a capacidade de eleger um único deputado.  

Maioria dos eleitores

Aliás, mesmo Angra tendo 132.701 eleitores, ou seja, o maior eleitorado da Costa Verde, Itaguaí, que tem 94.679 eleitores, teve quem a defendesse e brigasse pelo seu desenvolvimento, pois o município já elegeu cinco deputados e provavelmente, elegerá mais um nestas eleições.

Prata da casa

Como sou bairrista e amo a minha terra, acredito que neste domingo vamos dar voz a nossa cidade e a Costa Verde, elegendo um deputado federal e um estadual para nos representar no Congresso Nacional e na Assembleia Legislativa do Estado. Mesmo que os demais municípios da Costa Verde não optem por um representante regional, os eleitores de Angra sozinhos são capazes de eleger, inclusive mais de um representante para cada esfera de poder. Portanto, pensem na nossa casa, na nossa cidade e na nossa região e escolham a prata da casa neste domingo.