O custo da cesta básica no Rio de Janeiro teve um recuo de 0,82% em agosto, pelo segundo mês consecutivo, como já ocorrera em julho (queda de 1,3%), chegando a R$ 717,82. A capital, que já esteve na segunda posição entre as cestas mais caras do país, em março deste ano, agora está em quarto lugar, de acordo com a pesquisa mensal do Dieese (Departamento Intersindical de Estatística e Estudos Socioeconômicos), realizada em 16 capitais. 

O destaque foi para a queda do preço da batata, explicado pelo bom ritmo de colheita, do tomate, pela maior oferta, e do óleo de soja, diante do aumento da disponibilidade da soja e demanda reduzida. Também caiu de preço na capital fluminense o feijão preto, e o café.

Por outro lado, o preço do pão francês e da farinha de trigo mantiveram trajetória de alta, diante da geada no Sul do país que prejudicou a lavoura de trigo e reduziu ainda mais sua oferta. 

No acumulado do ano até agosto, a alta de preços da cesta básica carioca (+7,7%) foi a terceira menor do país, superior apenas a Vitória (+5,3%) e Belo Horizonte (+5,5%); um alento para as famílias mais carentes do Rio.