Civil captura ex-mulher de Richardson

Ela é acusada de tráfico e associação ao tráfico de drogas. Chefe do tráfico está preso desde 2016

Os Anjos da Lei da 166ª Delegacia de Polícia, liderados pelo Dr. Vilson de Almeida, foram na segunda-feira, dia 19 de setembro, até São Pedro da Aldeia, na Região dos Lagos. Lá, eles encontraram Juliana Rodrigues Júlio, de 42 anos, que até então era considerada foragida da Justiça, procurada pelos crimes de tráfico e associação ao tráfico de drogas.

Ela é ex-companheira do traficante Richardson Tenório, que está preso no Complexo de Gericinó, mas que mesmo assim continua ditando regras nas comunidades dominadas por uma facção criminosa, como Areal e Bracuí.

De acordo com o Dr. Vilson de Almeida, informações obtidas pelo Setor de Inteligência da Delegacia de Angra, apontaram que Juliana havia se homiziado numa comunidade de São Pedro da Aldeia.

“Os policiais da 166ªDP a localizaram no Morro dos Milagres. Juliana era companheira de Richardson Tenório, que seria o maior líder do tráfico de drogas nas comunidades do Areal e do Bracuí, e investigada através de recursos sofisticados de inteligência. Os agentes ingressaram na comunidade ao amanhecer, de forma discreta, no uso de viaturas descaracterizadas, mantendo vigilância na residência de Juliana, a qual foi abordada ao sair de casa. Ela não ofereceu qualquer resistência, sendo presa e transportada imediatamente para fora daquela comunidade”, explicou o xerife de Angra dos Reis.

Ainda segundo a polícia, Juliana disse que tentou tirar o ex da vida do crime e chegou a morar com ele na cidade de São Paulo, local em que ele teria tentado ganhar a vida como frentista num posto de combustíveis, mas logo abandonou a profissão honesta e voltou para o crime.

Richardson está preso desde o dia 21 de dezembro de 2016, quando foi capturado pela polícia, na Rodovia Rio-Santos (BR-101), na altura da Monsuaba.

Naquela ocasião, o traficante de 39 anos, teria tentado subornar os homens da lei, oferecendo R$ 200 mil para que não fosse preso. A polícia afirma que Richardson é um traficante de alta periculosidade, que em 2003, inclusive, matou uma recepcionista do antigo Pronto Socorro Municipal, por conta de uma dívida de drogas. Ele também tentou contra a vida de um policial militar e ordenou diversas execuções nas áreas dominadas por sua facção criminosa.

Juliana Júlio, a ex-mulher do traficante, foi transferida na manhã de quarta-feira, dia 21 de setembro, para um presídio do Estado, onde ficará à disposição da Justiça.

Deixe um comentário