Dois corpos são encontrados carbonizados

O Setor de Investigação da 168ª Delegacia de Polícia apura as circunstâncias de três homicídios ocorridos na cidade de Rio Claro, em apenas cinco dias.

O primeiro ocorreu na sexta-feira, dia 9 de setembro, em Getulândia, quando um homem, cuja identidade não foi divulgada, morreu com vários tiros no rosto. O corpo foi encontrado caído na estrada que liga Getulândia a Arrozal, em Piraí, e policiais militares que compareceram a cena do crime, não conseguiram testemunhas que pudessem ajudar na elucidação do homicídio.

Na segunda-feira, dia 12 de setembro, foi encontrado o corpo de João Vitor, o Vitinho, de 20 anos, o corpo do rapaz estava carbonizado e foi encontrado na RJ-149, que liga Rio Claro à Mangaratiba.

O cadáver foi encontrado por populares, e estava na altura de uma localidade conhecida como Bambuzal, no Poço Azul, que comunicaram o fato aos agentes do 28º BPM (Volta Redonda), que seguiram para o local do crime e acionaram a Polícia Civil, que enviou os agentes do Instituto de Criminalística Carlos Éboli (ICCE), que colheram materiais que possam ajudar na identificação da morte do jovem.

O corpo de Vitinho foi levado para o Instituto Médico Legal (IML) de Volta Redonda e depois liberado para sepultamento. A reportagem de A CIDADE recebeu de uma fonte, a informação de que o jovem estaria praticando pequenos furtos na cidade, com o intuito de manter um suposto seu vício em drogas.

Vitinho

Mais um

Já na noite de quarta-feira, dia 14 de setembro, outro corpo carbonizado, que até o fechamento desta edição, não havia sido identificado, foi encontrado, também por populares, na estrada que liga Rio Claro à Mangaratiba.

O cadáver estava dentro de um carro, que também foi totalmente queimado. O corpo foi levado ao IML de Volta Redonda e nenhum autor ou autores dos crimes bárbaros, haviam sido identificados e os casos seguiam envoltos em mistério na pacata Rio Claro.

Deixe um comentário