Garotinha morre após ser atropelada em porta de escola

A pequena Maria de Fátima Vitória Guerreiro, de apenas 11 aninhos, foi atropelada na tarde de sexta-feira, dia 9 de setembro, na porta da Escola Municipal Maria Thereza Nascimento Garcia, no Perequê. Infelizmente, no domingo, dia 11, Maria de Fátima teve morte encefálica e seus órgãos foram captados para doação, na última terça-feira, dia 13, no Hospital Maternidade de Angra dos Reis, a antiga Santa Casa.

Seria mais um dia normal para as crianças da escola, que tiveram a saída antecipada e com isso os pais não foram pegá-las. As crianças então foram pra calçada da escola, onde brincavam e esperavam a chegada dos responsáveis, para então seguirem para as suas casas e então começar o período de folga, com muita brincadeira durante o fim de semana, porém quis o destino traiçoeiro, interromper uma vida de sonhos e saúde, como a de Maria de Fátima.

Segundo o relatado pelo motorista do Voyage preto, placa OLS-3900 (RJ), ele passava pela Travessa Ivan Viana, quando Maria de Fátima, que brincava na calçada, se desequilibrou e caiu na frente do veículo. O homem, de 54 anos, disse aos policiais que não conseguiu parar em tempo hábil, atropelando a menina.

De imediato foi providenciado o socorro da garotinha, que no primeiro momento foi levada ao Hospital de Praia Brava e depois transferida para a antiga Santa Casa, onde lutou bravamente pela vida, fazendo jus ao sobrenome, Guerreiro.

Mesmo com o empenho da equipe médica, o cérebro de Maria de Fátima não mais respondia. Com a morte encefálica, a mãe de da garotinha, a servidora pública Ludimila Guerreiro, permitiu que os órgãos da filha fossem captados e transplantados em outras pessoas, mantendo acesa a chama da vida da criança.

O caso foi registrado na delegacia de Angra dos Reis como homicídio culposo e a morte da pequena Maria de Fátima causou comoção na cidade, devido a todas as circunstâncias que acarretaram no triste fim de uma vida.

Deixe um comentário