Grávidas devem redobrar os cuidados com a sífilis

Infecção congênita pode levar recém-nascido à morte

A Secretaria de Saúde de Angra dos Reis vem acompanhando as Infecções Sexualmente Transmissíveis e pontuou que a mais comum na cidade é a sífilis, em especial a congênita, que é quando é passada da mãe para o bebê. 

Por isso é importante o diagnóstico precoce desta infecção grave que pode causar má-formação do feto, aborto ou morte do bebê, quando este nasce muito doente. Em 99% dos casos, o tratamento com penicilina durante a gravidez cura tanto a mãe quanto o feto. No entanto, o tratamento da mãe que esteja a menos de quatro semanas do parto pode não erradicar a infecção do feto. 

Em Angra, o tratamento é oferecido por meio do Programa HIV e Hepatites Virais, que funciona do Centro de Especialidades Médicas, o CEM, do Centro. Quanto aos casos de gonorréia, a Secretaria de Saúde informou que não houve notificações desta doença, nos últimos meses. 

A pasta responsável pela saúde dos angrenses ainda ressaltou que as portas do departamento estão abertas a todos os portadores das infecções sexualmente transmissíveis, com uma equipe multiprofissional oferece atendimento especializado, acompanhando os pacientes e oferecendo os medicamentos necessários para uma vida plena. 

No local também é possível fazer a testagem para o HIV, Sífilis e Hepatites Virais, mas o importante é a prática de um sexo seguro, ou seja, usando preservativos. A melhor forma de prevenção é usar a popular camisinha. 

Paralelo a isso, o Programa HIV e Hepatites Virais atende a 760 pessoas, portadoras do vírus HIV.

Deixe um comentário