Machão não aceitava o fim da relação e deu fim à vida da amada. Atual namorado também foi esfaqueado e também acabou em cana

Era para ser mais um dia de descanso na vida da Mônica Pantaleão do Nascimento, de 43 anos, moradora da Sapinhatuba 2 e então proprietária de um bar, naquela comunidade. Ela, conhecida por ser uma mulher de fibra, que trabalhava arduamente para colocar o pão de cada dia em sua mesa, havia se separado de José Fabiano Uchôa Lins Nóbrega, também de 43 anos. A história do casal se repetia como a de milhares de brasileiros. Mônica não quis mais viver maritalmente com Fabiano e pediu a separação, porém o homem, com o espírito impregnado de machismo, não aceitava. Ele pensava que ela era sua propriedade. Dado certo momento da história, Mônica conhece Gilcimar Affonso, de 40 anos, com que engata um romance e aumenta ainda mais a fúria de Fabiano, que começa a perseguir a ex-mulher, aquela a quem jurou amar e cuidar. Segundo fontes, ela teria percebido o perigo rondando a sua vida e a do novo amor e resolveu manter certa proximidade de Fabiano, que volta a ter esperança de que teria o seu relacionamento reconciliado. Outra fonte ouvida pela reportagem dá conta de que Mônica havia formado um triângulo amoroso, sem que os homens tivessem ciência do que ocorria. Mesmo se tivesse sido assim, sua sentença não deveria ser a que estava por vir.

Na madrugada de sexta-feira, dia 2 de setembro, Mônica fechou o bar e seguiu para casa, na companhia de Gilcimar. Quando abriu a porta de casa, o casal foi surpreendido por Fabiano Uchôa, que enfurecido os atacou, golpeando Mônica mortalmente e deixando Gilcimar ferido. Ele tentou se defender e chegou a desferir facadas no assassino de sua namorada, que consegui fugir da cena do crime, mas não da comunidade.

Fabiano Uchôa, depois do feminicídio contra Mônica e da tentativa de homicídio contra Gilcimar, tentou fugir, mas antes levou dois balaços no peito, que teriam sido ordenados pelo tráfico local, por conta da confusão criada no bairro e mesmo assim, não se sabe como, mas ele conseguiu chegar com vida ao Hospital Municipal da Japuíba, onde recebeu atendimento médico.

Gilcimar, que também havia sido esfaqueado por Fabiano, foi conduzido ao hospital para receber atendimento médico, lá os policiais civis da 166ª Delegacia de Polícia foram comunicados que um baleado estava recebendo atendimento na unidade. Imediatamente, os agentes liderados pelo delegado titular da Delegacia de Angra, Dr. Vilson de Almeida, deram voz de prisão a Fabiano Uchôa, que assim que receber alta médica, será transferido para uma unidade prisional do Estado, ficando à disposição da Justiça. Ele responderá por feminicídio e tentativa de homicídio.

Gilcimar também acabou preso, e já foi recolhido a um presídio da capital, pois contra ele havia um mandado de prisão em aberto, pelo crime de tráfico de drogas, crime este ocorrido em Valença.

Gilcimar Affonso era foragido da Justiça, pelo crime de tráfico de drogas

Deixe um comentário