Ponto de ônibus é vandalizado na Angra-Getulândia 

Ação teria sido cometida por moradores da região para impedir utilização do espaço por parte de moradores em situação de rua 

Um abrigo de passageiros, localizado na Rua Prefeito João Gregório Galindo, na Japuíba, atrás do Hospital Municipal da Japuíba (HMJ) foi vandalizado no domingo, dia 28, segundo relatos enviados à reportagem de A CIDADE. 

O local é habitado por moradores em situação de rua e a destruição de parte da estrutura, incluindo assento e coluna de sustentação, poderia ter sido feita por moradores da região, incomodados com a presença destas pessoas. 

Mesmo com a retirada de parte do ponto de ônibus, as pessoas que vivem em situação de rua continuam no local, desta vez dormindo no chão, encarando ainda mais o frio que fez durante a semana, com a passagem da frente fria pelo Estado do Rio. 

A reportagem de A CIDADE entrou em contato com a Secretaria de Desenvolvimento Social e Promoção da Cidadania, com o objetivo de obter informações sobre a abordagem social naquele local. Também foi questionado sobre o trabalho da pasta, com relação as outras pessoas que vivem em situação de rua, na região do CIEP de Jacuecanga, local em que no final de semana, um cachorro foi esfaqueado por um dos ocupantes daquele espaço. 

Mais uma vez, o município respondeu que “a Prefeitura de Angra disponibiliza duas equipes que trabalham diariamente, dia e noite, na abordagem à população em situação de rua. As abordagens são tanto de demanda espontânea com a equipe que faz a ronda, quanto o atendimento aos casos apontados por meio do telefone (24) 99867-7560. Mensalmente são cerca de 430 abordagens, muitas delas feitas às mesmas pessoas, em momentos diferentes. As pessoas que decidem aceitar o apoio da Prefeitura são encaminhadas ao Centro de Atenção à População em Situação de Rua, no Bracuí, que tem capacidade para acolher até 25 pessoas”, resume a nota enviada pela pasta. 

Deixe um comentário