Foragido chega à 166ª DP, levado por agentes do GAT

Ele é acusado de estupro de vulnerável

Policiais Militares do Grupamento de Ações Táticas (GAT), do 33º BPM, prenderam na manhã do dia 25, terça-feira, um foragido da Justiça acusado de estupro de vulnerável. Os agentes receberam  uma  denúncia anônima sobre o paradeiro do acusado, que  estaria escondido na casa de parentes em um imóvel na Rua José Ramalho, em Itacurubitiba, em Conceição de Jacaréi, em Mangaratiba. O angrense Felipe Ramon Lima Couto, de 27 anos,  era morador do Portogalo, mas estaria homiziado na cidade vizinha. Ele é acusado de um estupro de vulnerável, ocorrido em 12 de junho de 2019, no Portogalo, contra uma jovem com então 13 anos.

Amigos  do acusado foram às redes sociais defendê-lo. “Não teve estupro nenhum”, postou um amigo de Felipe. Segundo ele, há mais ou menos 3 anos,  Felipe estava separado da esposa, ocasião em que a  jovem em questão vivia atrás dele. Esse amigo afirmou que  ele  se esquivava das investidas, até que cedeu. Esse amigo de Felipe, alega que ele perguntou a idade da  menina, que teria dito que tinha 17 anos. Esse mesmo amigo alegou ainda, que a suposta vítima aparentava  ser mais velha do que realmente era. Esse amigo contou que a certa altura a mãe da  menina descobriu a relação e o acusou de estrupo. Contou também que a  garota teria consentido a relação, mas que teria sido obrigada pela mãe a  dizer que foi estuprada.  “Resumindo toda essa história, ele está preso porque ela mentiu sobre a idade dela”, disse o amigo do acusado.

Questionados porque Felipe estava foragido, os amigos disseram  nas redes sociais que era porque ele é inocente. Ao ser preso, Felipe foi levado para a 166ª DP. Ele  foi transferido para o sistema prisional e está à disposição da Justiça. Felipe  já havia sido preso em 21  de abril, de 2016, por roubo majorado, em Seropédica e só foi libertado em  23 de fevereiro de 2018. O roubo majorado é quando uma pessoa subtrai um bem de alguém mediante violação ou grave ameaça, utilizando uma arma de fogo, por exemplo, e é comumente chamado de assalto.

Deixe um comentário