Homem mata o próprio cachorro a pauladas

Xorel acabou morrendo na manhã do dia posterior à violência que sofreu

Ele havia envenenado o animal e queria acabar o sofrimento do bicho

Por volta das 11h, do dia 21, sexta-feira, a Polícia Militar foi acionada por populares com a informação de que um homem estaria maltratando um cachorro na Rua Alan Kardec, no Areal, na Grande Japuíba. Segundo a denúncia, o homem teria jogado creolina no animal e depois o teria espancado com um pedaço de pau.

https://youtu.be/hIm5nCAC98o
Agentes do 33º BPM levam o cãozinho para uma clínica veterinária

Quando os agentes chegaram ao endereço, o autor  havia fugido, mas o cachorro, um vira-lata, preto, estava no local e bastante machucado. Os agentes levaram o cãozinho para uma clínica veterinária.  Os Policiais Militares voltaram ao endereço e encontraram o filho do agressor, que informou que seu pai era o dono do cachorro. O homem, que não iremos identificar para preservar sua segurança, é um motorista, de 66 anos. No final do dia,  ele  se apresentou voluntariamente na delegacia acompanhado de um advogado.

Ele justificou os maus-tratos à sua maneira. Disse  que o cãozinho, que se chamava Xorel e que vinha sofrendo com uma infestação de pulgas e carrapatos. Contou que passou creolina no animal para resolver o problema, mas Xorel lambeu o corpo e se envenenou. Alegou que as crianças, que ele não identificou,  viram o animal sofrendo e  começaram a chorar. Foi quando  ele decidiu terminar com o sofrimento de Xorel. Pegou um pedaço de pau e começou a  bater na cabeça do bichinho, com a intenção de matá-lo.

https://youtube.com/shorts/48PC9a4i6H4
Xorel na clínica antes de morrer

Só que as pessoas que estavam na rua e viram a cena reagiram,  começaram a discutir com ele e chamaram a polícia. Com medo, ele fugiu para o mato para esperar a poeira baixar. Disse que  já havia gastado mais de 2 mil reais na clínica para onde o cachorro  havia sido levado. Alegou também que Xorel  sempre foi bem tratado, mas que a sua casa estava sofrendo com uma infestação de pulgas e carrapatos. Em sua defesa, ele também afirmou estar arrependido do que havia feito e garantiu que faria de tudo para salvá-lo.  Apesar desse esforço, Xorel acabou morrendo.