Jovem foi atacado enquanto dormia em uma marquise

Ele foi atacado enquanto dormia em uma marquise

Um crime brutal  chocou a cidade, no final da madruga do último dia 14,  em frente à Igreja Sara Nossa Terra, na Avenida Jair Toscano de Brito, no Balneário, na altura da rodoviária. Um morador de rua matou outro morador de rua, que dormia na marquise da igreja a pedrada.  Uma testemunha  teria dito que o assassino socou  a cabeça da vítima contra o chão com uma pedra. Disse que  ele teria esmagando a cabeça do rapaz  e depois saiu andando e rindo, como se nada tivesse acontecido.  Caio Felipe Ferreira Nazário, de 26 anos, foi identificado no IML, no Bracuí, para onde o seu corpo havia sido levado.

Baiano jurou mais um desafeto de morte

Acionados às 5h30 da madrugada para verificar esse homicídio, os agentes da Polícia Militar (PM ), prenderam o pretenso assassino nas redondezas. Pouco antes do crime,  Eremilson Santos Sousa, de 32 anos,  o vulgo Baiano, havia dito a outros moradores de rua no posto de gasolina, em frente à rodoviária, que mataria Caio, pois havia brigado com ele. “Vou ali matar o Caio”, teria dito Baiano. Ele teria voltado pouco depois com as mãos todas ensanguentadas  e teria dito, “não falei que iria matar o Caio?”. Ele ainda jurou outro morador de rua de morte e teria dito que “matei e mato mesmo, amanhã eu vou estar solto mesmo”.  Baiano segue preso, no sistema prisional para onde foi transferido.

Deixe um comentário