Mulher vive a base de morfina por falta de operação para retirada de cistos no ovário

Cirurgia até foi marcada, mas a paciente não consegue o risco cirúrgico

Uma denúncia grave, envolvendo uma moradora de Jacuecanga, demonstra a inércia da Secretaria de Saúde de Angra dos Reis, quando o assunto é cuidar da população.

Segundo relatos enviados à nossa reportagem, a mulher tenta há dois anos fazer a retirada de cistos no ovário e devido a falta de cirurgia, convive diariamente com a dor, que só é amenizada com a aplicação de morfina.

“Ela está com cinco cistos, sendo enrolada e com a vida em risco, pelo uso da morfina. Depois de muito clamor por parte da população, programaram a cirurgia pra daqui um mês, porém está em outro martírio. Ela precisava fazer o risco cirúrgico, enfrentando outra fila. Como qualquer médico pode fazer o risco, ela foi até o SPA Jacuecanga, mas o médico negou. O problema é que as pessoas do terceiro distrito estão sendo tratadas como sobra de feira. Nada funciona em termos de saúde neste lugar e não é de agora. Agora é uma panela de pressão, pois as pessoas estão com a vida em risco e sendo enroladas”, diz a mensagem remetida ao A CIDADE.