Bate cabeça

A reunião do Conselho de Ética e Decoro Parlamentar, que ocorreu no dia 26 de outubro, no Plenário da Câmara Municipal de Vereadores demonstrou o despreparo dos membros do Conselho, quanto a condução do processo que pretende punir a vereadora Gabriella Carneiro, por quebra de decoro parlamentar. O presidente do Conselho, vereador Dudu, a todo instante recorria a relatora do processo, a também vereadora Luciana Valverde, para saber o que fazer diante das alegações e solicitações da advogada Maria Fernanda, que representava a ré. A impressão transmitida a quem assistia a reunião, era de improviso, uma coisa bem mambembe, inclusive, quanto a forma que as testemunhas convocadas seriam ouvidas, até que decidiram que a sabatina seria realizada de forma sigilosa, em uma das salas do ‘caixote’. O que acabou ocorrendo, até porque existe uma investigação em curso na 166ª Delegacia de Polícia em conjunto com o Ministério Público do Estado, que também tem como testemunhas as mesmas pessoas intimadas pelos vereadores. A tal sabatina também acabou em queixa-crime na 166ª DP, pois algum espertalhão resolveu esconder um celular com o gravador ligado, na sala onde as tais testemunhas eram ouvidas.

Vingancinha

Dizem as más línguas, que o desengavetamento do processo disciplinar contra Gabriella Carneiro, estaria sendo usado para pressionar a parlamentar a votar nos candidatos à nova Mesa Diretora da Câmara, escolhidos pelo prefeito Fernando Jordão. Como a vereadora teria se negado a votar nos candidatos da base do governo, os membros do Conselho resolveram punir politicamente a jovem, inclusive com a cassação de seu mandato, para dar posse ao 1º suplente, neste caso, o ex-vereador Canindé do Social, que votaria no grupo em troca do cargo.

Vingacinha 2

Como a fofoca está comendo solta pela cidade, as más línguas também dizem que o desengavetamento do processo disciplinar contra Gabriella, estaria servindo como pano de fundo para abafar um suposto caso amoroso entre o presidente do Conselho Dudu do Turismo e a relatora do caso, Luciana Valverde, após um vídeo apócrifo ter sido distribuído nas redes sociais com tais insinuações.

Desabafo

O próprio vereador Dudu do Turismo fez um desabafo na Sessão Ordinária do dia 25 de outubro, sobre o tal vídeo com insinuações amorosas. Ele disse que não tem amnésia. Que viu muitos assessores de vários vereadores compartilhando o tal vídeo. Que antes de comentar sobre o vídeo pediu autorização à colega, Luciana Valverde. Que as pessoas ou a pessoa que fez e distribuiu o tal vídeo não respeitou os filhos, o marido, a esposa, enfim os familiares dele e da parlamentar, ambos casados. Que ninguém tem o direito de entrar na vida pessoal de ninguém, para julgar, apontar e muito menos dar opinião. Que a política passa, mas a imagem das pessoas ficam. Enfim, que não deseja o mal a ninguém, nem para aquele que fez e distribuiu o tal vídeo. O mais interessante no discurso do vereador Dudu do Turismo, é que ele recriminou o vídeo, mas não negou e muito menos desmentiu o conteúdo.

Dois pesos e duas medidas

Realmente, tais vídeos apócrifos, que envolvem a vida privada das pessoas, tiram qualquer um do sério. Mas, quando a própria Gabriella Carneiro, ré da Comissão de Ética e Decoro Parlamentar da Câmara Municipal de Angra dos Reis, comandada pelos vereadores Luciana Valverde e Dudu do Turismo, teve um vídeo exposto nas redes sociais, sobre um suposto caso amoroso com o presidente de seu partido, a própria vereadora Luciana Valverde subiu à Tribuna e descascou a jovem parlamentar, com um discurso altamente moralista. Bem do tipo ‘no dos outros é refresco’. Aliás, nenhum dos demais vereadores, que hoje querem cassar o mandato de Gabriella Carneiro, discursou em seu socorro, nem quando a jovem precisou acionar a polícia para impedir a entrada de seu ex-marido armado nas repartições da Casa Legislativa. Esses dois pesos e duas medidas é que arranha totalmente a credibilidade daqueles que se julgam detentores da moral e dos bons costumes.

O povo fala

A fofoca tem corrido solta quando o assunto são os vereadores de Angra. A mais nova que circula na praça envolve o presidente da Casa Legislativa, vereador Helinho do Sindicato, que tem justificado a sua ausência na Câmara por motivos de saúde. Mas, comenta-se à boca miúda, que o vereador não estaria dando as caras no parlamento por conta das dívidas adquiridas em sua campanha para deputado federal. O povo diz que ele teria acreditado que o prefeito Fernando Jordão arcaria com os custos de sua campanha, já que ele faria dobradinha com a primeira-dama. Um ledo engano. O chefe do executivo municipal teria dado um belo pé no traseiro de Helinho, que estaria até o pescoço de dívidas de campanha. Mas, Helinho não teria sido o único vereador a tomar calote do chefe, um outro parlamentar de primeiro mandato, também teria levado um cano de 24 mil reais do alcaide.

Postura

Enquanto uns somem da praça, outros se mostram firmes em suas posições e objetivos políticos. Exemplo disso, vem do vereador Edinho Rodrigues, que foi candidato a deputado estadual e do presidente do Podemos, Venissius, que foi candidato a deputado federal. Ambos saíram fortalecidos das urnas e se cacifaram para a disputa municipal que acontecerá em 2024. Tanto Edinho quanto Venissius saíram da campanha de cabeça erguida, sem dever nada a ninguém, até porque, não prometeram mundos e fundos, muito menos venderam a alma pelo cargo. Aliás, tanto Edinho quanto Venissius continuam na luta por uma Angra melhor. Isso sim é ter dignidade! Que venha logo 2024.