Continuava envolto em mistério, até o fechamento desta edição, a execução sumária de Fernando da Silva dos Santos, de 38 anos, ocorrida na manhã de terça-feira, dia 27 de setembro, na Rua dos Girassóis, conhecido ponto de desova, num caminho atrás de um posto de gasolina, no Bracuí.

Populares que passavam pelo local, localizaram o cadáver do homem e imediatamente comunicaram o fato à Polícia Militar.

Agentes do 33º BPM compareceram ao local e acionaram os agentes do Instituto de Criminalística Carlos Éboli, que fizeram a perícia na região.

Fernando foi morto com tiros no rosto e outro no pescoço, sem chance de defesa. Se em locais residenciais a localização de testemunhas que ajudem na elucidação do crime é difícil, na região onde ocorreu o assassinato é mais difícil ainda.

O caso foi registrado na 166ª Delegacia de Polícia, onde o setor de investigação apura as circunstâncias da execução de Fernando.

A Jornal A CIDADE ao longo dos anos publica matérias relacionadas a área em que o homem foi morto e desovado. Na mesma região, moradores denunciam há anos a existência de um cemitério clandestino, onde pessoas que são consideradas desaparecidas, tiveram os seus restos mortais enterrados. A localidade também recebe o nome nada sugestivo de “Final Feliz”.

Deixe um comentário