Traficante é indiciado por lavar dinheiro em Angra

André do Rap quando foi em Angra em 2018

André do Rap comprou uma mansão de 22 milhões

O traficante André de Oliveira Macedo, o André do Rap, virou réu no Rio, por lavagem de dinheiro. Segundo denúncia do Ministério Público, ele lavou dinheiro comprando uma mansão em Angra, avaliada em 22 milhões.  A escritura da casa milionária foi lavrada no 1º Ofício de Justiça do Cartório de Registro de Imóveis de Angra. A mansão fica em um condomínio na Alameda Caieirinha. Segundo o MPRJ, o traficante internacional iniciou processo de compra da mansão em março de 2018 e firmou o negócio cerca de dois meses depois.Para que conseguisse lavar o dinheiro, o imóvel foi colocado no nome de uma mulher, Valdenora Brito de Jesus, que também foi denunciada.

A casa foi avaliada em 22 milhões

Em 2019 ele já havia sido preso em Angra

André do Rap é responsável por intermediar o envio de toneladas de cocaína para a Europa e África,o que o tornou alvo de autoridades nacionais e internacionais. Condenado a 25 anos de prisão por tráfico internacional de drogas, ele foi beneficiado, em outubro de 2020, por um habeas corpus concedido pelo Supremo Tribunal Federal (STF). Poucas horas depois da decisão do ministro do STF Marco Aurélio de Mello, hoje aposentado, que libertou o traficante, o presidente da Corte, ministro Luiz Fux, revogou a decisão, mas já era tarde. André do Rap já havia metido o pé.

Desaparecidohá quase dois anos. Hoje, ele é procurado, pela Justiça de São Paulo (TJSP) e pela Justiça do Rio de Janeiro (TJRJ). Seu nome foi, inclusive, parar na lista de procurados da Interpol, do Ministério da Justiça e da Polícia Civil de São Paulo. Ele havia sido preso  justamente em Angra, no dia 15 de setembro de 2019.  Ele estava em outramansão alugada por R$ 20 mil mensais. Os agentes também apreenderam um helicóptero avaliado em R$ 7 milhões, um barco de 60 pés de R$ 6 milhões, além de dois jet skis e veículos de luxo.

Deixe um comentário