Jovem de Valença desaparece em Angra

Mãe acredita que filho tenha sido morto por traficantes

A redação de A CIDADE foi procurada nesta terça-feira, dia 8, por Andréia Pereira, mãe do jovem Marcelo Matheus Pereira, morador de Valença e que está desaparecido desde o dia 3 deste mês, quando foi visto pela última vez no bairro Areal, na Grande Japuíba.

Segundo a genitora do jovem, no dia 31 de outubro saíram de Valença e na viagem ela bateu com o carro, que foi levado a uma oficina.

“Primeiramente levaram o veículo para o Morro da Cruz e depois para o Areal. Meu filho saiu de casa na quinta-feira, dia 3, dizendo que iria na oficina, saber como estava o andamento do serviço. Não me atentei ao fato dele pouco conhecer a cidade, pois quando vinha para cá ia somente até a Praça do Porto ou Praia Grande, mas como eram só cinco pontos de ônibus, nem questionei”, explica Andréia.

Ainda de acordo com a mãe do rapaz, Marcelo Matheus saiu do Morro da Cruz e foi para a oficina do Areal, onde buscou informações sobre o carro que havia batido no domingo anterior.

“Ele saiu da oficina e não foi mais visto. Passado algum tempo eu recebi duas ligações anônimas, que diziam que ele tinha sido morto, pois não era da área. Que nem o corpo seria devolvido. Uma ligação foi feita por um homem e a outra por uma mulher. Provavelmente tenham utilizado o telefone do Marcelo e colocaram para chamadas privativas. Como mãe só quero ter o direito de enterrar o meu filho, que sempre foi um bom menino e não conhecia a cidade, por isso a gente descarta que ele tenha sido vítima de vingança”, desabafou a mãe de Marcelo Matheus.

Os familiares do rapaz foram até a Delegacia de Angra, onde registraram o desaparecimento. Até a publicação desta reportagem, nenhum corpo com as características de Marcelo Matheus havia dado entrada no Instituto Médico Legal (IML) do Bracuí ou no Hospital Municipal da Japuíba (HMJ).

Apesar da quase certeza de que o filho tenha sido morto, quem possuir informações sobre o paradeiro da Marcelo Matheus deve entrar em contato com os telefones (21) 98849-6254 – Portal Desaparecidos ou 0300 253 1177, Disque Denúncia Angra.