Vereadores mostram que prefeito não manda na Câmara Municipal

Preferida do alcaide entrou na sessão eleita e saiu derrotada

Diz o ditado popular que de bumbum de neném e  de cabeça de juiz ninguém sabe o que vai sair. Mas em Angra dos Reis deve-se acrescentar  ao ditado que da  eleição da Mesa Diretora da Câmara Municipal também. Em mais uma vibrante eleição ocorrida no final da tarde desta terça-feira, dia 8, no Plenário Benedito Adelino, a vereadora Luciana Valverde (MDB), líder do governo, entrou na sessão eleita  presidente da casa e saiu sem sequer ocupar um cargo de secretária. Não é a primeira vez e nem será a última que um vereador entra eleito e sai derrotado.  Apesar disso, ao longo dos anos os vereadores e seus assessores insistem em comemorar a  vitória antes da hora. Mas, fato é que vereadora, dita preferida do prefeito Fernando Jordão para presidir a Câmara Municipal pelo biênio 2023/20024, saiu derrotada do pleito. Aliás, dizem os entendidos de política que houve uma desobediência às ordens do alcaide e que isso vai custar caro aos traidores.

Até a vereadora Gabriela Carneiro, a Gabi, alvo de uma investigação do Conselho de Ética da casa legislativa deu a  volta por cima. Ela foi eleita a vice-presidente  da chapa vencedora para a perplexidade de muitos de seus detratores, em especial, das demais  vereadoras, que nunca demonstraram um pingo de sororidade pela colega, quando esta  teve sua vida particular exposta  por interesses políticos. Ao frigir dos ovos a mesa ficou assim composta: Rubinho Metalúrgico (Cidadania) – presidente; Gabriela Carneiro (PP) –  1ª vice-presidente;  Charles Neves (Patriota) – 2° vice-presidente; Obina (Cidadania) – 1º secretário e Dudu do Turismo (PSD) – 2º secretário.  Com a eleição dessa mesa diretora muita gente  na cidade acredita que essa foi a primeira vitória de Venissius Barbosa contra Fernando Jordão, na eleição para prefeito de 2024.