Dos 14 vereadores só quatro permaneceram em seus antigos partidos

Helinho do Sindicato, Jane Veiga, Luciana Valverde e Titi Brasil continuam nas mesmas siglas nas quais foram eleitos

Com o fim da janela de transferência partidária no dia 5 de abril, ficou evidenciada a debandada de parlamentares em busca de apoios em outros partidos, com o objetivo de encorpar legendas e garantir mais de duas cadeiras no Parlamento Angrense.
O vereador Branco, que foi eleito pelo PSD, deixou a sigla e foi para o PRD; mesmo partido escolhido por Chapinha, que foi eleito pelo Cidadania. O Cidadania perdeu outros dois parlamentares, Rubinho Metalúrgico e Jorginho Brum. Rubinho, atual presidente da Câmara foi para o PP, que também recebeu os vereadores Charles Neves e Jorge Eduardo Mascote, eleitos pelo Patriota, além de Dudu do Turismo, que saiu do PSD e desembarcou no Progressistas, que até então, contava apenas com uma vereadora, Gabriella Carneiro, que com a mudança do comando do Progressistas na cidade, rumou para o Republicanos. Outro vereador, eleito pelo Progressistas, Edinho Rodrigues, deixou a sigla e seguiu para o
Avante. Marquinho Coelho, que em 2020 foi eleito pelo PSC, deixou o partido e foi para o Solidariedade. Os partidos que não tiveram perdas foi o MDB, que manteve as vereadoras Titi Brasil, Jane Veiga e Luciana Valverde e, ainda recebeu o reforço do vereador Jorginho Brum. O Agir, antigo PTC, foi o
segundo partido a não sofrer perdas na cidade e continua com o vereador Helinho do Sindicato.