Com a finalização do prazo de filiação partidária para aqueles que pretendem disputar as eleições municipais o clima político da cidade mudou. Embora estejamos em pleno outono, a temperatura no município está altíssima e com tendência a subir ainda mais, já que até o fechamento desta edição, Angra dos Reis já contava com cinco pré-candidatos a prefeito e mais de 200 pré-candidatos a vereadores. Em cada esquina da cidade, o que se ouve e vê são os políticos delineando suas estratégias em busca de apoiadores em meio à competição acirrada pelo voto popular. E olha que ainda estamos em abril.

Pré-candidatos a prefeito disputam palco político

No cenário da corrida pela Prefeitura, surgem nomes de diferentes espectros políticos e com propostas variadas para enfrentar os desafios locais. Desde veteranos políticos até figuras emergentes da sociedade civil, os pré-candidatos buscam conquistar a confiança dos eleitores apresentando suas visões para o desenvolvimento da cidade.

Entre os cinco atuais pré-candidatos a prefeito, dois já atuaram como secretários do atual prefeito Fernando Jordão. São eles: Venissius Barbosa e Claúdio Sírio, o Ferreti. Venissius, que hoje concorre pelo União Brasil, foi chefe de gabinete de Jordão, quando este era deputado federal, deixando o cargo no Congresso para coordenar a campanha que elegeu Fernando para o seu terceiro mandato de prefeito, e assumindo a secretaria de Governo. Já Ferreti é funcionário de carreira da Prefeitura de Angra. Foi secretário de Obras nos dois primeiros mandatos de Fernando Jordão, entre os anos 2000 e 2008, quando foi desencadeada a “Operação Cartas Marcadas”. Na época, Ferreti teve sua prisão decretada pela Justiça, ficando foragido por 39 dias, até que um habeas corpus o permitiu responder ao processo em liberdade. Aliás, Ferreti responde até os dias atuais por formação de quadrilha, fraudes em licitações, corrupção ativa e passiva, lavagem de dinheiro entre os crimes contra a administração pública. Após a eleição de Fernando Jordão para o seu terceiro mandato de prefeito, Ferreti assumiu novamente a secretária de Obras a qual deixou para assumir a secretaria de Governo, no lugar de Venissius.

José Augusto, candidato pelo Republicanos, foi assessor parlamentar da ex-vereadora Vilma dos Santos. Foi vereador e presidente da Câmara e candidato a prefeito nas últimas eleições, perdendo para Jordão, que acabou eleito para o seu quarto mandato.

Outro pré-candidato é o engenheiro agrônomo Rafael Ribeiro do PSOL, que também é servidor público. Essa é a primeira vez que Rafael disputa uma eleição, assim como o engenheiro e empresário Renato Araújo do PL. O empresário conta com o apoio irrestrito do ex-presidente da República Jair Bolsonaro, que tem um apreço especial pela cidade, onde ele tem casa há mais de 20 anos. Renato Araújo é angrense, nunca concorreu a um cargo público, venceu na iniciativa privada e foi a escolha de Bolsonaro para transformar Angra dos Reis numa cidade próspera para os seus moradores que sofrem com as mazelas de um município subdesenvolvido.

Grandes desafios

Independente da escolha nas urnas do próximo prefeito, Angra dos Reis precisa garantir à população qualidade de vida. Os desafios são grandes, pois mesmo com um orçamento bilionário, os últimos prefeitos não conseguiram proporcionar o mínimo à sua população, que sofre com a falta de esgotamento sanitário, água potável e constantes enchentes por falta de um trabalho preventivo, como o desassoreamento dos rios e contenções de encostas, uma saúde precária e uma educação pífia. Para piorar, o atual prefeito intitulou o município de “Cidade da Educação”, onde a propaganda enganosa e as compras milionárias da pasta imperam. Aliás, na ‘Cidade da Educação” os pais peregrinam em busca de vagas no primeiro segmento educacional.

Mais de 200

Além da disputa pela Prefeitura, a corrida pelas cadeiras na Câmara de Vereadores também está movimentada. Mais de 200 pré-candidatos vão disputar uma das 15 vagas para o parlamento angrense. Tem candidato de todas as vertentes políticas, que estão apresentando suas plataformas e propostas, buscando representar os interesses de diferentes comunidades e setores da sociedade local. A diversidade de ideias e perfis enriquece o debate político e oferece aos eleitores uma ampla gama de opções para escolherem seus representantes.

Nesse contexto, os eleitores se veem diante de um cenário complexo, onde é fundamental analisar as propostas, o histórico e a integridade dos candidatos antes de tomar uma decisão nas urnas. A participação ativa da população no processo eleitoral é essencial para garantir uma gestão transparente e comprometida com o bem-estar coletivo.

Segue o jogo

À medida que as eleições se aproximam, a expectativa é de que o debate político se intensifique e os pré-candidatos ampliem seus esforços para conquistar o apoio dos eleitores. Cabe à população acompanhar de perto esse processo, exercendo seu direito democrático de escolher os representantes que irão conduzir os destinos de suas cidades nos próximos anos.