Família do Frade sofre com infestação de carrapato estrela

O carrapato é pequeno e muitas das vezes o hospedeiro, demora a encontrá-lo (Foto enviada pela denunciante)

Uma baia com cavalos foi construída junto ao imóvel

A matriarca de uma família moradora do Frade procurou nossa reportagem para divulgar uma situação que eles têm vivido extremamente e que coloca em risco a saúde pública. A esperança é sensibilizar o setor da Prefeitura responsável para que as medidas necessárias sejam tomadas, pois a casa em que a família mora está infestada de carrapatos.

Ela contou que a família vem sofrendo com o ataque de carrapatos há algum tempo. “Inclusive, tive um neto que teve febre por conta disso”, revelou. A avó teve que levar a criança de madrugada para o Hospital de Praia de Brava, pois o menino estava chorando, com febre e sem conseguir fazer xixi. Uma vez na unidade, os médicos encontraram um carrapato estrela no canal da urina da criança. Eles perguntaram à família se eles moravam em algum local onde havia cavalos, cabras ou cachorros. Foi quando ela contou que havia uma baia atrás da casa deles.

Ela explicou que esse terreno é da prefeitura ou da usina, ela não sabe bem, mas sabe que foi invadido. Os invasores colocaram os cavalos e construíram a baia. Para piorar, o matagal está entrando na casa, mas os invasores não limpam e nem deixam ninguém entrar no terreno para limpar. “Quero pedir ajuda, pois já não aguento mais”, suplicou. A matriarca da família lembrou que esse problema vem acontecendo na Rua da Jaqueira, atrás da Escola Cívico-Militar Remo Baral Filho e da Creche Municipal Sérgio Louzada.

O carrapato estrela, ou micuim, é o transmissor de uma doença infecciosa chamada febre maculosa brasileira. A doença não é transmitida entre humanos e nem através do contato com animais infectados. A bactéria R. rickettsii é transmitida para os humanos e para os animais apenas por meio da picada de um carrapato infectado. Mais comum entre os meses de maio a novembro, a doença tem tratamento por meio de antibióticos. Quanto mais precoce for o diagnóstico, maior será a chance de cura; se não for tratada, a doença pode levar à morte.

Vídeo enviado pela família