Indefinição na plenária do PT indica que partido apoiará Ferreti

“Companheiros” históricos afirmam que não vão tolerar que o partido caminhe com o grupo de Fernando Jordão

O Partido dos Trabalhadores realizou no sábado, dia 4, uma plenária para avaliação de conjunturas, em vistas as eleições municipais de outubro. Cercada de expectativa pelo anúncio de Luiz Sérgio como pré-candidato a prefeito ou até mesmo uma indicação de apoio a outros pré-candidatos, o encontro serviu na verdade para marcar posição, pelo ao menos em Angra, de candidaturas à Câmara de Vereadores.

Diferentemente de Paraty, cujo dirigentes partidários aclamaram a pré-candidatura de Vera de Trindade à prefeitura da cidade histórica, em Angra, tudo deverá ser decidido dentro do calendário de convenções partidárias.

A frustração dos companheiros em não saber dos rumos do partido do Presidente da República, que comandou por quatro vezes o município, foi provocada pela evidente intenção dos caciques da sigla em selar aliança, possivelmente com Fernando Jordão e seu pré-candidato Ferreti. Inimigos históricos, mas cujo apoio atualmente agrada a muitos filiados, pois sugerem que assim estariam em conformidade com a direção nacional, que tem o MDB como um de seus principais aliados. Caso a união entre PT e MDB se confirme, a aliança deverá se manter de forma discreta, devido à baixa popularidade do presidente Lula e do PT na cidade.

Um militante histórico da sigla saiu enfurecido pela Rua do Comércio, afirmando categoricamente que “vão empurrar goela abaixo o apoio ao Ferreti, ou seja, passar por debaixo dos panos tal acordo, numa reunião do diretório, que sabemos muito bem como funciona”, ele também reclamou em grupos de WhatsApp, mas depois foi orientando a apagar as mensagens.

Numa dessas mensagens, o ‘companheiro’ deixava claro que “o Luiz Sérgio tem o dever moral de ser o candidato, sem se importar com o número de votos. É a hora dele vestir a camisa e ir para as ruas e defender um projeto político para a cidade, assim como faz Paraty. Neste caso a melhor opção de voto será em Rafael Ribeiro, que é pré-candidato pelo PSOL e um velho conhecido nas lutas sociais”, retrucou.

Segundo fontes, a aliança do PT com Ferreti estaria sendo ‘negociada’ nos bastidores, e caso se concretize, deverá ser anunciada tão logo sejam iniciadas as convenções partidárias. O PT integra a Federação Brasil da Esperança, composto ainda por PC do B e PV. Neste ano, a presidência da Federação é do PC do B, que já acenou que caminhará com Venissius, do União Brasil. O PV ainda não se manifestou sobre as eleições de outubro.

Outro militante frisou que “como petista é duro ter que engolir uma aliança que soa como pragmática, mas que no fundo não é. O partido já foi achincalhado várias vezes pelo grupo do prefeito, que inclusive fez velórios públicos pelas ruas, quando Fernando ganhou a primeira vez e até mesmo lavou as ruas da cidade com alfazema, para supostamente tirar a chamada ‘inhaca’, deixada pela ex-prefeita Conceição Rabha”.